Como prevenir a COVID-19

Como prevenir a COVID-19

A COVID-19 é uma doença infeciosa que se transmite por contacto próximo com indivíduos infetados pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2). A sua transmissão ocorre de pessoa para pessoa através de gotículas respiratórias, produzidas quando uma pessoa infetada tosse, espirra, fala ou respira. A doença pode também ser transmitida de forma indireta, através do contacto com superfícies e objetos contaminados com gotículas respiratórias de indivíduos infetados.1

O método mais promissor para a prevenção da infeção pelo novo coronavírus é a vacinação. Apesar da eficácia já demonstrada pelas vacinas, o regresso à normalidade apenas será possível após alcançada a imunidade de grupo, ou seja, quando uma percentagem suficientemente grande da população se tornar imune (protegida) e, assim, limitar a propagação da COVID-19.2

Uma vez que o cumprimento do plano de vacinação da população Portuguesa é um processo complexo e potencialmente demorado, é crucial continuar a adotar certos cuidados por toda a sociedade de forma a evitar a propagação da doença. A DGS destaca 5 medidas importantes:1

  • Distanciamento entre pessoas;
  • Utilização de máscara;
  • Higiene pessoal, nomeadamente a higienização das mãos;
  • Higiene ambiental, como a limpeza e desinfeção;
  • Automonitorização de sintomas e abstenção do trabalho (no caso de sintomas sugestivos de COVID-19).

NOTA: Importa salientar que todas as medidas abaixo mencionadas são necessárias, mas não suficientes a título individual. Por outras palavras, todas estas medidas devem ser aplicadas em conjunto para assegurar uma prevenção adequada da COVID-19.


Distanciamento entre pessoas

As medidas de distanciamento são das mais eficazes na redução da transmissão do vírus que causa a COVID-19. O objetivo destas medidas passa pela redução do contacto entre pessoas, incluindo coabitantes, no caso de suspeita de infeção pelo novo coronavírus. Para isso, é necessário manter uma distância de segurança de pelo menos 2 metros entre pessoas, seja em espaços interiores ou exteriores, bem como evitar o contacto com indivíduos que apresentem sintomas sugestivos da doença (nomeadamente febre, tosse ou dificuldade respiratória).

Por outro lado, existe um conjunto de hábitos a evitar, nomeadamente a partilha de artigos pessoais, a presença em locais movimentados e os contactos desnecessários dentro ou fora de casa, em particular, eventos que reúnam muitas pessoas.

 

Utilização de máscara

A máscara é uma ferramenta adicional e essencial na prevenção da COVID-19. A razão da sua eficácia deve-se à criação de uma barreira que impede as gotículas respiratórias de se propagarem.

Destacam-se 3 tipos de máscaras:

  • Máscara FFP2: Protege o utilizador da inalação de gotículas presentes no ar. É usada principalmente pelos profissionais de saúde, mas tem vindo a ser disponibilizada para a população em geral.
  • Máscara cirúrgica: Cria uma barreira que contem gotículas cujo utilizador emite após tossir, espirrar ou falar e protege o utilizador da inalação de gotículas suspensas no ar. Contudo, este tipo de máscara possui uma capacidade de filtração inferior comparativamente à máscara FFP2.
  • Máscara comunitária/de uso social: É um tipo de máscara destinado à população em geral, com diferentes materiais têxteis, devendo ser certificado. No caso de a pessoa ter contactos frequentes com o público, a máscara deve garantir um nível mínimo de filtração de 90%. Para a restante população, um nível mínimo de filtração de 70% é considerado suficiente.

Tanto a máscara cirúrgica como a comunitária devem ser trocadas (ou lavadas, se reutilizáveis) após um período contínuo de utilização máximo de 4 a 6 horas ou quando não se encontrarem íntegras ou em condições de higiene requeridas para a sua correta utilização.

Sempre que utilizada uma máscara, é necessária atenção para os seguintes passos:

  1. Antes da colocação da máscara, higienizar as mãos, com água e sabão ou uma solução à base de álcool;
  2. Certificar que o lado de dentro da máscara está voltado para a face (no caso das máscaras cirúrgicas, o lado branco deve estar virado para a face);
  3. Ajustar a máscara de forma a que cubra a boca, nariz e queixo;
  4. Não tocar na máscara enquanto estiver colocada. Sempre que tocar, higienizar de novo as mãos;
  5. Não retirar a máscara para falar, tossir ou espirrar;
  6. Quando retirar a máscara, segurar nos elásticos/atilhos, sem tocar na frente da máscara;
  7. Descartar a máscara num caixote de lixo (ou lavar, no caso de ser reutilizável);
  8. Higienizar as mãos após remoção da máscara.

 

Higiene pessoal

As mãos são um fácil veículo de transmissão do vírus. Por norma, isto sucede quando uma pessoa contacta com objetos ou superfícies contaminadas e, a seguir, toca nos próprios olhos, boca ou nariz. Deve-se, por isso, realizar uma correta higiene das mãos e seguir regras de etiqueta respiratória.

Deve-se lavar as mãos regularmente, de forma cuidada (pelo menos durante 20 segundos, esfregando sequencialmente as palmas, o dorso dedos das mãos e os pulsos), sem acessórios, como relógios ou anéis, e com água e sabão (em alternativa, com uma solução à base de álcool com 70% de concentração, evitando as soluções com concentração de 96%). Por outro lado, durante episódios de tosse ou espirros, deve-se tapar a boca e nariz com um lenço de papel ou com o braço (não usar a mão), evitando a projeção de gotículas. Os lenços de papel devem ser imediatamente descartados no lixo, após utilização, seguido da devida higienização das mãos.

 

Higiene ambiental

Todos os locais ou materiais em risco de contaminação pelo vírus devem ser limpos e desinfetados, de forma a reduzir o risco de propagação para o próprio indivíduo ou outras pessoas. Isto é de especial importância em locais onde estiveram presentes pessoas com COVID-19.

A desinfeção com lixívia é uma das opções, devendo ser diluída em água fria. As janelas abertas garantem a renovação do ar e reduzem os níveis de toxicidade. Apenas os doentes com COVID-19, profissionais de saúde e cuidadores de doentes infetados devem descontaminar a sua roupa. Para isso, devem evitar sacudir roupa suja e lavar preferencialmente na máquina, pelo menos a 60ºC durante 30 min (em alternativa, usar desinfetante próprio nas roupas). Em espaços fechados, é essencial abrir as portas ou janelas para manutenção de um ambiente limpo e bem ventilado. Caso isto não seja possível, deve-se assegurar o bom funcionamento do sistema de ventilação, bem como a sua limpeza e manutenção.

 

REFERÊNCIAS:

  1. https://covid19.min-saude.pt/wp-content/uploads/2020/05/ManualVOLUME1-1.pdf
  2. https://www.sns24.gov.pt/tema/doencas-infecciosas/covid-19/vacina-covid-19/#sec-4